segunda-feira, 21 de novembro de 2011

capitulo quatro --Como começou o desenho

---Eu não sei o que fazer.--dizia dona lina a mãe.
---O que tá acontecendo Lina?  --perguntou dona Dina a filha.
---Os meninos estão crescendo preciso fazer alguma, filho sem pai, a gente tem uma menininha pra cuidar, Laca da muito trabalho pro Julio, coitado, corre atras do irmão o tempo todo.
---Também não é assim mamãe, ele é um bom menino, só que tem muita curiosidade.
Dona Lina, não queria os filhos jogados pelas ruas enquanto ela dava aulas, por isso Leninha quase sempre estava na casa de alguém, uma hora aprendendo bordar, fazer flores, fazer bainha, mas o que ela mais gostava era de fazer croché, aprendeu rápido.
Laca descobriu as revistas em quadrinhos, chegava com dificuldade em Itabirinha, mas Julio trabalhando na prefeitura e correio tinha mais facilidade de encontrar, Dona Lina não gostava dos meninos com aquelas porcarias nas mãos, era o que ela achava no principio,mas assim que descobriu que aquilo deixava Laca mais tranquilo decidiu deixar, a caixinha de madeira crescia com coleções:  Tarzan, Homem Aranha, Homem de Ferro, Thor, Batman, etc, mas a que ele mais gostava depois do Tarzan era Homem Aranha.
Resolveu desenhar e inventar personagens, viajava nessas aventuras.
Aconselhada por pessoas da cidade dona Lina resolveu colocar Julio em um Seminário que ficava em Teofilo Otoni.
Ele não gostou muito não, não queria ser padre, mas a oportunidade de estudar era boa.
Lacarmélio crescia dando trabalho e alegrias a família.
Julio desistiu do seminário, tanto reclamou que Dona Lina achou melhor ele voltar para casa, as dividas ainda não estavam todas pagas, tava difícil pagar os juros e conseguir dinheiro pra comer.
Por querer um futuro melhor dona Lina resolveu mandar Julio para Belo Horizonte e ele abrir caminho para trazer toda a família.Ele já tinha uma profissão e poderia terminar os estudos.
vendeu a casa, único bem que tinha restado.
Pagou mais um pouco e foi morar de aluguel em uma casa no fundo da Pensão. Julio veio e conseguiu um emprego e preparou tudo para família mudar.
Lacarmélio estava todo eufórico, queria poder desenhar mais e poder conhecer pessoas importantes ( pensava)
venderam uns poucos moveis que tinham, o resto viria em um caminhão de favor de umas pessoas mais ricas que tinham negocio aqui, todo mundo ajudou na mudança, o salario dela ficaria com um amigo da família para receber e pagar algumas promissórias restantes.
A família viria em uma combi que servia de ambulância, viria buscar paciente em BH, sendo assim uma carona foi dada. Dona Dina já com 92 anos quase não aquentou a viagem, a estrada era ruim e dava muito solavanco.
Por fim a chegada em BH.

Amanha conta o primeiro contato do Lacarmélio com a Av. Afonso Pena.  Lairan

3 comentários:

  1. Tá escrevendo biografia de artista... Que bom!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Leonina, obrigada, seu apoio ta sendo muito importante.

    ResponderExcluir